Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Herculano Pires’

Sequência lógica e natural das três revelações cristãs.

20, julho, 2014 2 comentários

moisés-jesus-e-kardecO Espiritismo é o prosseguimento natural do Cristianismo. Como diz Emmanuel: “É a Renascença Cristã do Mundo”. Graças a essa doutrina de luz e de amor, os princípios cristãos vão sendo restabelecidos em sua pureza primitiva. Foi necessário, para esse restabelecimento, o concurso do Céu, como o Cristo já havia previsto e, segundo podemos ver, nas passagens referentes ao Consolador, no Evangelho de João. As vozes do céu tiveram de conclamar os homens, na terra, para a volta à realidade evangélica.

Pouco importa que os adversários da doutrina digam o contrário, que acusem o Espiritismo de anticristão e chamem os espíritas de embusteiros. Convém lembrar que os sacerdotes das religiões pagãs, e os próprios sacerdotes do judaísmo, fizeram a mesma coisa com o Cristianismo. Nem o Cristo respeitaram. Acusavam Jesus de embusteiro, de feiticeiro, de endemoniado e chamavam os cristãos de hereges e mistificadores. Se Jesus expelia os demônios, libertando pobres criaturas das garras de seus terríveis obsessores, diziam que o divino Mestre o fazia porque “tinha parte com o Diabo”. A história se repete, e os espíritas precisam se lembrar do heroísmo e da serenidade dos cristãos primitivos, para se portarem à altura dos ensinamentos evangélicos, diante das acusações de hoje.

A missão de Jesus não findou com a crucificação, como a sua doutrina de luz não se apagou com as deturpações humanas. Depois da crucificação, houve a ressurreição. E, assim também, após as deturpações, surge a hora gloriosa da restauração, anunciada pelo Cristo. O anúncio é claro e preciso, como vemos no cap. 14 do Evangelho de João, versículo 26: “Aquele Consolador, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”. O Consolador nos lembra os princípios verdadeiros do ensino de Jesus, que os homens perturbaram através dos tempos, ajeitando-os, muitas vezes, às suas conveniências. Mas, não se limita a lembrar o que foi dito naqueles tempos, porque lhe cabe também “ensinar todas as coisas”, dizer tudo aquilo que, no tempo de Jesus, não estávamos em condições de ouvir, porque não as entenderíamos.

Leia mais…

Assistência dos espíritos nas dificuldades da vida.

20, julho, 2014 Sem comentários

reunião-espiritaConfusões entre o meio e o fim acarretam decepções doutrinárias – O que importa no Espiritismo é o Reino de Deus e a sua Justiça.

Um dos fatores mais frequentes de decepções, na prática espírita, é o utilitarismo dos praticantes. Há pessoas que só compreendem as coisas do ponto de vista da utilidade imediata. Essas pessoas não se dirigem ao Espiritismo na procura de uma visão mais ampla da vida, de melhor compreensão, de maior equilíbrio psíquico.

Desejam, pelo contrário, obter benefícios imediatos: cura, solução de problemas financeiros ou amorosos, arranjo da vida. Pretendem fazer do Espiritismo um meio de conquista de vantagens pessoais. Os resultados dessa atitude só podem ser negativos.

Não é missão do Espiritismo “arranjar a vida” de quem quer que seja. Os Espíritos superiores não estão a serviço dos pequeninos e passageiros interesses humanos. Dessa maneira, a pessoa que deseja benefícios acaba perdendo a assistência dos Espíritos superiores e sofrendo o assédio dos inferiores. Estes, sim, estão sempre prontos a atender a todos os pedidos, mesmo os mais injustos. E, se às vezes fazem alguns benefícios imediatos, não raro cobram muito caro o que fizeram, causando, mais tarde, amargas decepções.

Leia mais…

SOMOS ESPÍRITOS

26, outubro, 2013 1 comentário

O Livro dos EspíritaNão estamos na Terra para nela permanecermos. Estamos aqui de passagem. Não somos criaturas terrenas. Somos habitantes do cosmos. Milhões de mundos nos esperam no espaço sideral.
Humanidades superioras, gloriosas, anseiam por nos receber em mundos felizes, de trabalho e de paz, o grande trabalho da evolução universal. Não se trata de uma ilusão, mas de uma verdade que dia-a-dia se torna mais visível e mais palpável. “Há muitas moradas na Casa de meu Pai”, disse Jesus. E o Pai de Jesus é o nosso Pai, a Inteligência Suprema, que nos criou para um destino superior. Não façamos da vida terrena a nossa única vida. Não fiquemos agarrados à Terra. O Infinito é o nosso destino.

Não somos feitos de carne e osso. Nem o corpo é somente
destinado à morte e à corrupção. Afastemos da nossa mente a
idéia de morte. Ninguém morre. O que morre é apenas o corpo
material. Ressuscitamos no corpo espiritual, que é o corpo da
ressurreição. Os que se entregam à morte, fecham os olhos à vida.
Quando morremos na Terra renascemos para a Vida Maior.
As ciências atuais avançam rapidamente, na descoberta da
nossa verdadeira natureza. A Física descobriu a antimatéria, provando
definitivamente a existência do outro mundo. As próprias
religiões se modificam, reformulam os seus conceitos, diante do
avanço irreversível da cultura. Vai longe o tempo da ignorância
materialista. Estamos entrando na civilização do Espírito.
Tomemos consciência da realidade do Espírito. Aproveitemos
a vida no bom sentido, aprendendo com ela a viver o futuro. O
presente se esvai a cada minuto que passa. O futuro é a realidade
em que nós mergulhamos dia-a-dia. Nosso corpo tem vida limitada,
mas nosso Espírito não está sujeito aos limites do tempo. Você
é Espírito. Seu corpo é apenas um instrumento da sua manifestação
na Terra. Não se apegue ao mundo. Liberte-se do apego à
matéria, tome consciência de sua natureza espiritual.
Não se preocupe com os seus problemas, mas procure dar
conta do seu recado. Você é um caixeiro-viajante e precisa cumprir
as suas obrigações, diante da passagem terrena. Não prejudique
ninguém. Não faça maldade. Não explore. Não roube. Seja
honesto e procure servir aos outros o mais que puder. O que fizermos
para os outros, nos será devolvido por outros. E devolvido
com juros!

Escrito por Herculano Pires

no livro “No limiar do amanhã”

Atualidade das Recomendações de José Herculano Pires

28, julho, 2012 2 comentários

 Deus abençoe a todos…

Diante de tantas incoerências dentro do movimento espírita brasileiro com relação ao Espiritismo sério, José Herculano Pires, a mais de 30 anos, já nos advertia e previa essa bagunça doutrinária que infelizmente vemos hoje. E em sua visão de filósofo e estudioso do Espiritismo dava-nos a solução para o problema: Estudar sistematicamente e compreender as obras de Allan Kardec abandonando esse Pseudo-Espiritismo fanático-mediúnico, adorador de médiuns, igrejeiro e católico que se instalou como uma praga no falido movimento Espírita Brasileiro.

Vejamos um trecho do Livro Curso Dinâmico de Espiritismo, em seu capítulo 17: Ação Espírita na Transformação do Mundo.
Leia mais…

Você ainda não fez sua reforma íntima?

3, junho, 2012 2 comentários

O Espiritismo não criou igrejas, não precisa de templos suntuosos e tribunas
luxuosas com pregadores enfatuados. Não tem rituais, não dispensa bênçãos, não
promete Lugar celeste a ninguém, não confere honrarias em títulos ou diplomas
especiais, não disputa regalias oficiais. Sua única missão é esclarecer, orientar, indicar o
caminho da autenticidade humana e da verdade espiritual do homem. Se não
compreendermos isso e nisso não nos integrarmos estaremos sendo pedras de tropeço
para os que desejam realmente evoluir, não por fora, mas por dentro. E esse por dentro

não quer dizer reforma, mas desenvolvimento das potencialidades do espírito. A teoria da
reforma intima é um engodo que levou muitos companheiros aproveitáveis à vaidade
adulteradora.
Leia mais…

FALTA DE FORMAÇÃO DOUTRINÁRIA.

26, abril, 2012 Sem comentários

Sem a formação doutrinária, não teremos um movimento espírita coeso e coerente. E, sem coesão e coerência, não teremos Espiritismo. Essa a razão por que os Espíritos Superiores confiaram às mãos de Kardec o pesado trabalho da Codificação. Kardec teve de arcar, sozinho, com a execução dessa obra gigantesca. Porque só ele estava em condições de realizá-la. Depois de Kardec, o que vimos? Léon Denis foi o único dos seus discípulos que conseguiu manter-se à altura do mestre, contribuindo vigorosamente para a consolidação da Doutrina. Era, aparentemente, o menos indicado. Não tinha a formação cultural de Kardec, residia na província, não convivera com ele, mas soubera compreender a posição metodológica do Espiritismo e não a confundia com os desvarios espiritualistas da época.
Leia mais…

FALA-SE MUITO EM ESPIRITISMO, MAS QUASE NADA SE SABE A SEU RESPEITO.

26, abril, 2012 Sem comentários

 Kardec afirma, na introdução de “O Livro dos Espíritos”, que a força do Espiritismo não está nos fenômenos, como geralmente se pensa, mas na sua “filosofia”, o que vale dizer na sua mundividência, na sua concepção da realidade. Mas de onde vem essa concepção? Como foi elaborada?

Os adversários do Espiritismo desconhecem tudo a respeito e fazem tremenda confusão. Os próprios Espíritas, por sua vez, na sua esmagadora maioria estão na mesma situação. Por quê? É fácil explicar. Os adversários partem do preconceito e agem por precipitação. Os espíritas, em geral, fazem o mesmo: formulam uma idéia pessoal da Doutrina, um estereótipo mental a que se apegaram. A maioria, dos dois lados, se esquece desta coisa importante: o Espiritismo é uma doutrina que existe nos livros e precisa ser estudada.
Leia mais…

Os espíritas não sabem o que é o Centro Espírita.

5, abril, 2012 1 comentário

“Se os espíritas soubessem o que é o Centro Espírita, quais são realmente a sua função e a sua significação, o Espiritismo seria hoje o mais importante movimento cultural da Terra. Temos no Brasil – e isso é um consenso universal – o maior, mais ativo e produtivo movimento espírita do planeta. A expansão do Espiritismo em nossa terra é incessante e prossegue em ritimo acelerado. Mas o que fazemos, em todo este vasto continente espírita, é um esforço imenso de igrejificar o Espiritismo, de emparelha-lo com as religiões decadentes e ultrapassadas, formando por toda parte núcleos místicos, desligados da realidade imediata”.

Leia mais…

O ESPÍRITA É UM CONFORMISTA?

10, março, 2012 4 comentários

RESIGNAÇÃO ESPÍRITA

Uma das acusações que se fazem ao Espiritismo é a de levar o homem ao conformismo. “Os espíritas se conformam com tudo, -escrevem-nos- e dessa maneira acabarão impedindo o progresso, criando entre nós um clima de marasmo, favorável às tiranias políticas do Oriente. A ideia da reencarnação é o caldo de cultura do despotismo, pois as massas crentes se entregam a qualquer jugo.”

Muitos confundem a resignação espírita com o conformismo religioso. Mas, contraditoriamente, acusam o Espiritismo e não acusam as religiões. Por outro lado, tiram conclusões teóricas de fatos que podem ser observados na prática. A ideia da reencarnação não é nova, não nasceu com o Espiritismo, e não precisamos teorizar a respeito, pois temos toda a história da humanidade ante os olhos, para nos mostrar praticamente os seus efeitos.
Leia mais…

Todos acreditam em espíritos ovoides?

27, fevereiro, 2012 6 comentários

“André Luiz refere-se a ovoides, espíritos que perderam o seu corpo espiritual e se veem fechados em si mesmos, envoltos numa espécie de membrana. […] A ação vampiresca desses ovoides é aceita por muitos espíritas amantes de novidades. Mas essa novidade não tem condições científicas nem respaldo metodológico para ser integrada na Doutrina. Não passa de uma informação isolada de um espírito. Nenhuma pesquisa séria, por pesquisadores competentes, provou a realidade dessa teoria. NÃO BASTA O CONCEITO DO MÉDIUM PARA VALIDÁ-LA. As exigências doutrinárias são muito mais rigorosas no tocante à aceitação de novidades. O Espiritismo estaria sujeito à mais completa deformação, se os espíritas se entregassem ao delírio dos caçadores de novidades. ANDRÉ LUIZ MANIFESTA-SE COMO UM NEÓFITO EMPOLGADO PELA DOUTRINA, EMPREGANDO ÀS VEZES TERMOS QUE DESTOAM DA TERMINOLOGIA DOUTRINÁRIA E CONCEITOS QUE NEM SEMPRE SE AJUSTAM AOS PRINCÍPIOS ESPÍRITAS. A ampla liberdade que o Espiritismo faculta aos adeptos tem os seus limites rigorosamente fixados na metodologia kardeciana”.

Escrito por José Herculano Pires no livro “O Vampirismo”